23, 43% dos atendimentos de urgência nos hospitais foram triados como não-urgentes

Este ano e até ao passado dia 23, 43% dos atendimentos de urgência nos hospitais foram triados como não-urgentes, valores que já superam os 42% registado em 2018, avança o Jornal de Notícias.
As designadas “falsas urgências” estão a aumentar porque a falta de médicos de família faz com que os utentes optem por se deslocar às unidades hospitalares; sendo que, na zona de Lisboa e Vale do Tejo, metade dos doentes que se dirigem ao hospital recebem pulseiras verdes e azuis, ainda de acordo com o matutino.
Desde 2016 que têm vindo a ser implementadas medidas para reduzir a procura das urgências por doentes não urgentes, e no norte do País, avançaram projetos – como o de reencaminhar estes doentes para centros de saúde -, mas os resultados nacionais deixam a desejar, conclui o JN.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *